Mais de 3.500 pessoas já foram infectadas pela Covid no município

Os dados são da Prefeitura de Santa Cruz das Palmeiras, por intermédio de seu departamento de Saúde, que está lutando para tentar conter o avanço do novo coronavírus. Com uma população de mais de trinta cinco mil habitantes, a cidade faz parte de um ranking dramático do alto número de pessoas infectadas, quando avaliadas em grupos de mil habitantes.
Em entrevista na live da Gazeta Palmeirense, na noite da última segunda-feira, 24, o diretor do departamento de Saúde do município, Luís Rafael, apontou que os números causam preocupação e servem de alerta de que a pandemia não passou. Ele reiterou o pedido para que a população e os gestores públicos mantenham a prevenção à Covid-19, e alertou que, se isso não ocorrer, os próximos meses poderão ser difíceis no enfrentamento à pandemia.
Luís Rafael afirmou, ainda, que, em pouco mais de um ano, quando começou a doença, mais de 3.500 pessoas (10%) da população palmeirense já foram contaminadas.
Para a enfermeira de Vigilância Epidemiológica do município, Lucélia Silvestrini, que também participou da live, a maioria das pessoas contaminadas não está obedecendo ao isolamento recomendado pelos médicos, pois estão saindo às ruas ou participando de aglomerações e, com isso, contaminando cada vez mais pessoas. Disse Lucélia: “Precisamos contar com a consciência das pessoas que, quando estiver com os sintomas, mesmo antes de procurar um médico, se isolar para não contaminar mais pessoas, principalmente os seus familiares”.
Outra recomendação da enfermeira diz respeito à vacinação. Segundo ela, muitas pessoas que tomaram a primeira dose não voltaram para tomar a segunda, e esta é de suma importância para que a vacina possa fazer efeito completo. “Quem tomou a primeira e não voltou para receber a segunda dose, é o mesmo que não ter tomado nenhuma,” concluiu.
O diretor de Saúde disse ainda que não é hora de relaxamento por parte da população. “Estamos com grande número de pessoas internadas, intubadas e outras esperando vagas em leitos de UTI. Todas as unidades de internação da região estão lotadas. Se os casos continuarem aumentando não vai ser possível encontrar lugar e muitos poderão vir a falecer por falta de leitos hospitalares. A prefeitura está lutando para não deixar faltar leitos. Já foi feito mais um convênio com a Santa Casa, onde foi aumentado os leitos de internação, de 8 para 16, porém, mesmo assim, estão todos lotados. É preciso colaboração da população para que os casos não aumentem”, concluiu Rafael, afirmando, também, que está previsto um maior pico da doença no mês que vem.
Primeiro caso
O primeiro caso de Covid-19, registrado na cidade, ocorreu no dia 11 de maio do ano passado. Portanto, há pouco mais de um ano já foram 93 mortes registradas. Até a última quarta-feira, 26, o boletim epidemiológico, divulgado pela prefeitura, apontava os seguintes números:174 Casos suspeitos,3636 casos confirmados, 09 internados e 60 isolados.
Vacina
Segundo o vacinômetro até na Quarta- feira o município havia vacinado 9.684 pessoas. Sendo 6.412 primeira dose e 3.272 segunda dose

Compartilhe:
Share on Facebook
Facebook