meio ambienteNotíciasPolícia

Policia Ambiental resgata veado do fundo de residência

Apesar de assustado, ele não apresentava ferimentos e foi solto pelos policiais militares ambientais em seu habitat natural, afastado da zona urbana.

Atendendo a uma solicitação junto à sede do pelotão, no último sábado, dia 26, a Polícia Militar Ambiental de Pirassununga, com os policiais Ezequiel e Mafra, fez o resgate de um veado, onde a citada equipe constatou tratar-se de um servo da espécie “M. gouazoubira”, popularmente conhecido
como veado catingueiro, animal silvestre muito perseguido por caçadores, aumentando sua incidência na área urbana.
O animal estava acuado nos fundos de uma residência na Rua Ambrósio Margutti, no Bairro Santa Terezinha, em Santa Cruz das Palmeiras, provavelmente fugindo de algum caçador. Apesar de assustado, ele não apresentava ferimentos e foi solto pelos policiais militares ambientais em seu habitat natural, afastado da zona urbana.

Crime ambiental
A Polícia Ambiental lembra que a retirada de animais do meio ambiente pode causar desequilíbrio ecológico e refletir em todo o ecossistema, inclusive podendo causar sérios danos ao próprio homem. Além disso, caçar animais silvestres é crime e passível de punição. Quem for pego caçando responderá criminal e administrativamente. Por fim, alerta que a manutenção em cativeiro ou abate desse animal pode configurar crime ambiental e infração administrativa nos termos da Lei Federal 9605/98 e Resolução SMA 48/14 respectivamente.

Espécie em extinção
O veado-catingueiro (nome científico: Mazama gouazoubira), também conhecido por veado-virá, virá, virote, guaçutinga, guaçucatinga e guaçubirá, é um cervídeo de pequeno porte, pesando entre 11 e 25 kg. Mede entre 85 a 105 cm de comprimento e possui entre 50 e 65 cm na altura da cernelha. A coloração varia desde o avermelhado até o cinza, com cor mais clara no ventre, e áreas brancas na parte inferior da cauda e interior das orelhas. Possui uma mancha branca acima dos olhos, que é característica dessa espécie. Os chifres não são ramificados, possuem entre 6 e 12 cm de comprimento e são observados principalmente entre maio e julho, no Brasil. São animais geralmente diurnos e solitários, mas podem formar pequenos grupos em período de escassez de alimentos. Os machos são territoriais e a área de vida da espécie varia
de 30 a 300 hectares. A onça-pintada (Panthera onca) e a onça-parda (Puma concolor) são seus
principais predadores. Sua dieta se constitui principalmente de frutos e folhas. A gestação dura
cerca de 7 meses e dão à luz um filhote por vez. Este, nasce com pintas brancas na pelagem, que
desaparecem depois de 3 ou 4 meses. O ciclo reprodutivo do veado-catingueiro é rápido, com as
fêmeas podendo ter até duas prenhez por ano.

Tags
Show More

Máterias relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close

Adblock Detected

Please consider supporting us by disabling your ad blocker