Simples reparos interrompem abastecimento na cidade

A história sempre se repete. Quando ocorre algum problema na rede de distribuição de água de Santa Cruz das Palmeiras, o serviço municipal de água e esgoto tem de interromper o abastecimento de toda cidade para fazer o reparo. Foi o que aconteceu recentemente quando se rompeu a adutora que liga o reservatório de captação Puglieri à Estação de Tratamento de Aurora, responsável pelo tratamento da água consumida por 60% dos moradores. “Como o local por onde passa a adutora é de difícil acesso (fica no meio de um brejo), levamos 15 dias para localizar e reparar o vazamento”, explica Wladimir Custódio, diretor de Obras, Viação e Serviços, da Prefeitura. O fato é que a população passou três dias sem água na torneira. Como a rede é muito antiga e não é renovada há mais de 30 anos, os rompimentos são frequentes, especialmente quando há variação de temperatura.
“Temos feito várias manobras para evitar que falte água, como bombear água da Fazenda Prudente do Morro para a Represa Puglieri,”conta Custódio. “Pelas condições da rede é difícil evitar transtornos. Vamos ter que abrir mais uma represa porque quase esgotamos a represa Davi.”